terça-feira, 5 de março de 2013

TRANSPORTE ESCOLAR UNIVERSITÁRIO: Uma necessidade essencial do povo de Japaratuba

 

Foto0087Ouvi na tarde de ontem um discurso que foge aos princípios da Liberdade e Participação pregada pelo líder político (prefeito pela quarta vez e, que conseguiu vencer o agrupamento dos “mouras”, diga-se de passagem) Pe. Geraldo. Nada contra as pessoas que fazem parte da administração. Mas, há uma notável incoerência quanto ás ideias e aos fatos.

Primeiro, não contemplando todos (pois, é fato que há pessoas competentes nos cargos ocupados), mas alguns “chefes” acabam por se excederem em suas atitudes perante à população sustentando-se na cultura popular de que as reclamações só partem dos “contras” e sobre o que a lei reza sobre algumas situações.

Segundo, no transporte escolar universitário e, falo com propriedade, porque atuei 3 anos na área e conheço todos os problemas de perto, não só como servidor público, mas também cidadão – patrão dos ocupantes de cargo público – na qualidade de estudante. Nessa área, as administrações tentam impor sua vontade se escondendo na falta de uma lei que “force” o poder público municipal a oferecer transporte escolar gratuito e assim tornar heroica a gestão que oferecer ou manter esse serviço, quando não, impor-se sob pena de os estudantes não poderem reivindicar “pois, a lei não ampara...” e, supostamente, sejam penalizados com o corte. Não há ilegalidade, estamos calçados pelos direitos constitucionais e, morais da nossa terra.

Terceiro, uma lei não pode ser retroativa. Não se pode perder um direito já conquistado.

Quarto, se o atual gestor foi eleito pelo povo, foi por causa da manutenção de ações como essa – que é uma necessidade essencial do povo de Japaratuba. É uma conquista do povo como dono do poder, exercido através de seus representantes.

Pois bem, quero alertar aos ocupantes de cargo público que eles “estão”, mas não “são” e, que os empregados aqui são eles, nós é quem somo os patrões!