sexta-feira, 27 de julho de 2012

POLÍTICO É TUDO IGUAL? Voce eleitor agora é quem manda!

O brasileiro já vive fatigado das campanhas políticas e de propostas que dificilmente saem do papel. Se somos obrigados a votar, a democracia é a nossa arma. Agora o eleitor é quem manda. Somos os responsáveis pelos candidatos que ocupam os cargos públicos. Devemos ficar atentos e antenados na história de vida, no caráter dos candidatos e não no patrimônio financeiro e na popularidade, muitas vezes patrocinados por grandes empresas de marketing, mascarando e montando um perfil que desenha na memória do eleitor o perfil exato de quem merece ser o vencedor.
Entre no site DivulgaCand e veja quem realmente está apto perante a Justiça Eleitoral. Leia os panfletos, analisem as propostas, pesquisem sobre a vida do candidato. É preciso saber realmente sobre em quem você está votando. Eleição se ganha com voto e não com previsão de quem será o vencedor. Se você deseja que determinado candidato seja vencedor, vote nele. Não existe voto perdido. Se você se decepcionar nessa eleição, exclua os candidatos da sua lista de merecedores dos eu voto. Faça uma limpeza, se está bom, continue. Se não, vote no novo. Dê oportunidade a quem tem força de vontade.


EXEMPLO DE HISTÓRIA DE VIDA HUMILDE E LUTA POR IDEIAIS

Mel da Patioba é a que mais luta pela comunidade, seu nome é citado na internet em representações de projetos e melhorias para o povo.

           



MEL: Líder quilombola de Patioba - Por Claudomir Tavares claudomir@infonet.com.br

Realidadedas comunidades quilombolas em Sergipe é tema de audiência pública – “Participaram também da audiência Maria Normélia de Melo, representante do Comitê Gestor das Comunidades Quilombolas de Sergipe; Paulo Mary, coordenador Nacional das Comunidades Quilombolas de Sergipe (Conac-SE); Carlos Fontenele, do Incra/SE; e Robson Anselmo, do Instituto Braços.”

1º Curso Realidade Brasileira -Sergipe – “Neste intenso Processo Seletivo chegamos a aproximadamente 130 inscritos, o que demonstra a necessidade e vontade dos lutadores e lutadoras sergipanos em participar de um processo de formação política coletivo - 62. Maria Normélia Melo.

Sergipe indica quilombolas para o IV encontro nacional da CONAQ – “7ª a Srª. Maria Normélia Melo(Mel) da Comunidade Patioba do Município de Japaratuba/Se da Associação de Moradores do Povoado de Patioba”



Não há dúvidas, Mel da Patioba sabe o que quer. Ela é quem está preparada para representar a sua comunidade e trabalhar em prol do povo de Japaratuba. Essa você conhece e tem história reconhecida.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

VIDA DE POETA: O Mito dos Festivais!

Descrições da alma

Um Poeta Chamado “Poesia”
                                                         F. J. Hora

No espelho da minha alma
Vi o reflexos de alguns versos
E prosas tão ardentes
Descrevendo e revelando os mistérios
Das minhas musas eloquentes.

Inspiração que vem de dentro
Que carimba, marca, assombra
E coloca a amada no mais alto pedestal
Apaixonado no vigor do momento 
Amando mais do que o normal.

Minha alma embebida pela pena
Que as palavras já me denunciam
Antes que a leitura chegue ao fim
Já pressente que a obra irradia
O cantar do poeta “Poesia”!



  • O PATRONO DO FESTIVAL, de Japaratuba


GARCIA ROSA


Texto e poemas extraídos da obra:
Fontes de Alencar
ANOTAÇÕES DE POESIA
no Centenário da
REVISTA AMERICANA (1909-1919)

Brasília: Thesaurus, 2010.
ISBN 978-85-7062-925-8

SONHAR

Razão! Por mais que tu, mofando rias
Da loucura sem par dos meus castelos,
Vale mais do que as tuas zombarias
A alegria imortal de concebê-los.

Em pensamentos vãos e em vãs porfias
De amor, sempre conforme aos meus anelos,
Vão-se-me os dissabores, vão-se os dias,
Desabrocham-me nalma os sonhos belos

Quem sonha cria um mundo a seu talante...
Gele-me o peito a dúvida exaustiva
Ou ruja torva a cólera espumante,

Salva-me o sonho e o espírito me aviva,
Como se anima o trôpego viandante
Ao fulgor  da miragem fugitiva.



SAUDADE

Tudo passou: a lágrima vertida
Em torvas horas de mortal desgosto,
Como a fina volúpia não sabida
De quem nunca beijou tão meigo rosto.

O falso agrado, a confissão fingida,
O juramento vão de que é composto
O tredo amor de uma alma fementida,
Tudo passou, quais nuvens ao sol-posto.

Tudo passou; porém dentro em meu peito,
Urna sagrada desse amor outrora,
Hoje sepulcro deste amor desfeito.

Nem tudo ainda se extinguiu, Senhora...
Ouve-se sempre singular, perfeito,
O requiem triste que a saudade chora.


         Esses dois sonetos de Garcia Rosa (1877-1960), sergipano de Japaratuba, a Revista Americana, aquela que vicejou ao tempo em que o Barão do Rio Branco dirigia a Diplomacia brasileira, os estampou no vol. XIII, em 1915, o mesmo ano em que estudo de Jackson de Figueiredo a respeito do poeta foi publicado na Capital da República. Antes, pois, de editada a Lyrica de Garcia Rosa, recolhida pelo ensaísta (Rio: Anuário do Brasil, 1921).
         O exegeta mencionado disse falha a crítica que pusera o poeta entre parnasianos e simbolistas.

                   “em verdade, Garcia Rosa é sobretudo um lírico perfeito...O lirismo é a poesia de todos os movimentos mais espontâneos do coração, e por isso também tem sido de todos os grandes poetas da humanidade.”  Fontes de Alencar


AMÁLIA

Se tenho amado?Ouvi: era ideal, morena,
De olhos fenomenais, chispando como estrelas...
Veio a tísica e enfim ma disputou sem pena,
Nem me deixando ao luto as negras tranças belas.

Amália se chamava a lânguida açucena
Que partiu para o além, como partem as velas,
Desdobradas do mar na vastidão serenata,
Tão tristonhas e só que até faz pena vê-las.

Quando Amália morreu a cântaros chovia;
E as lágrimas do céu e mais as que eu vertia
Eram poucas talvez para tão grande amor...
Não sei se inda a verei; não sei se o céu existe...
Para a turva consciência emocional do triste,
Toda a noção do real se lhe restringe à dor.


Página publicada em maio de 2010

Ler mais em ANTÔNIO MIRANDA


  • OS FESTIVAIS


O Festival de  Poesia Falada  que surgiu de um trabalho feito pelo  professor Jorge Marcelo em sala de aula nas aulas de Português para incentivar aos alunos a ler e escrever, foi transformado por Pedro da Cultura em algo mais amplo  que virou tradição. 

PREMIAÇÃO DE 2010

1º lugar – Súplica Ardente dos Degregados Filhos de Maria – autoria de João Batista (foto) e interpretação de Jadson Rocha – R$ 1.000,00 (Japaratuba)

2º lugar - Renascer para Recomeçar – autoria de José Edson – R$ 800,00 (Estância)

3º lugar – Mas de Poeta e de Louco – autoria Périclys da Rocha – R$ 700,00 (japaratuba)

4º lugar – Inquietude - autoria de Tarciso Ramos – R$ 600,00 (Estancia)

5º lugar – Eu sou José – autoria de José Pereira – R$ 500,00 (Japaratuba)

Melhor Intérprete – Jadson Rocha – R$ 300,00

Melhor Produção Cênica – João Batista – R$ 300,00
Júri Popular – foi para Pérycles da Rocha, autor de “Mas de Poeta e de Louco” - R$ 400,00


PREMIAÇÃO DE 2011


Trágico reccoro antes do fim da humanidade" venceu em todas as categorias

I- Texto Poético:
1º Lugar: Trágico reccorro antes do fim da humanidade - Péricles Rocha (Japaratuba/SE)
2º Lugar: Operário em desconstrução - Ivilmar dos Santos Gonçalves (Lagarto/SE)
3º Lugar: Labaredas de um naufrágio - Tarcizio Ramos (Estância/SE)
II - Melhor Intérprete:
1º Périclys Rocha - Trágico reccoro do fim da humanidade.
III - Melhor Cenário:
1º Trágico reccoro do fim da humanidade
IV - Juri Popular:
1º Trágico reccoro do fim da humanidade


PREMIAÇÃO DE 2012


5º LUGAR: REINVENÇÃO (Estância);
4º LUGAR: DE PAI PARA FILHO: Desde 1912...;
3º LUGAR: RENTE À PELE, A LUZ DA LUA;
2º LUGAR: ÚLTIMO LAMENTO;
1º LUGAR: VIDA SEM HOLOFOTES... ÚLTIMO ESPETÁCULO 
MELHOR CENÁRIO: VIDA SEM HOLOFOTES... ÚLTIMO ESPETÁCULO
INTERPRETAÇÃO: ÚLTIMO LAMENTO (Jadson)
JÚRI POPULAR:  VIDA SEM HOLOFOTES... ÚLTIMO ESPETÁCULO

  • OUTROS FESTIVAIS Tal João, tal Garcia - vida de poeta (ou de festivais...)


CHEQUE SEM FUNDO: Poetas não receberam prêmio do Concurso de Poesia Falada de Propriá

Por TRIBUNA DA PRAIA Online


2012-03-02 21:01

Péricles Rocha, terceiro colocado, reclama que até o momento não recebeu o prêmio em dinheiro pela colocação obtida no Concurso de Poesia Falada João Fernandes de Britto


Realizado em 25 de janeiro de 2012, o Concurso de Poesia Falada de Propriá homenageou o poeta João Fernandes de Britto, que em 2010, caso estivesse vivo, teria completado 100 anos. “Passados exatos 37 dias, os poetas e poemas classificados na ordem que cabia premiação, ainda não receberam os valores a que tinham direito”, reclama o japaratubense Péricles da Rocha Santos, que interpretando o poema de sua autoria, “Lucidez de um Palhaço” obteve a terceira colocação.
“Os valores são insignificantes, digamos simbólicos, mas até a prefeitura fica colocando dificuldade que os vencedores terão que levar este e aquele documento, quando outras prefeituras, como Japaratuba, paga em espécime tão logo anuncia o resultado ainda no recital poético”, reclama o poeta Pedro dos Santos, pai de Péricles, vencedor do Concurso de Poesia Falada de Propriá em 2005 e 2006. “Naquelas edições recebi os valores ainda no palco”, completa Pedro da Cultura, como é conhecido.
Contatado pela nossa equipe, o professor Alberto Amorim, secretário municipal de Cultura, tranqüilizou aos poetas assegurando que “entre segunda e terça-feira a Prefeitura estará efetuando o pagamento”, completou. Pelo jeito, o cheque simbólico entregue pelo prefeito José Américo Lima (foto) durante o recital poético, estava literalmente sem fundo.
por Claudomir Tavares | foto: Diego Góes (Cocs/Propriá)

quarta-feira, 11 de julho de 2012

11ª ZONA ELEITORAL: “Um caso atípico e uma situação inusitada”.

 Participando ativamente dos eventos políticos do nosso município desde a eleição de 2004, quando o Sr. Jailson da Hora lançou seu nome naquele pleito como candidato a vereador e em seguida no ano de 2008 e, de lá para cá, acompanhando os desdobramentos da situação política do nosso município, a eleição de 2012 terá mais novidades do que o esperado.
Segundo relato das autoridades, veiculados nos principais meios de comunicação, houve uma certa "imaturidade" dos pré-candidatos na hora de garantir suas vagas para os cargos eletivos. Isso quer dizer que de nada adiantaram as experiências anteriores ou não estão de fato preparados para assumirem tal responsabilidade.
É claro, imprevistos podem acontecer, como no caso da candidata majoritária (PR), onde houve documentos pendentes de regularização. Mas, existem casos onde o famoso "jeitinho" brasileiro é uma carta na manga. Felizmente, a justiça brasileira garante a inviabilidade no momento, cabendo recursos e processos de regularização posteriores.


11ª ZONA ELEITORAL: 69 pré-candidatos não conseguem registro

Por TRIBUNA DA PRAIA Online

“Um caso atípico e uma situação inusitada”. Esse foi a análise feita pelo promotor eleitoral da 11a Zona Eleitoral, que compreende os municípios de Japaratuba, Pirambu e Carmópolis, Paulo José.
Em Japaratuba, 36 pré-candidatos a vereadores de duas coligações não conseguiram entregar em tempo hábil, os documentos necessários. O promotor João Paulo disse na manha desta terça-feira (10), houve um caso em que representantes das coligações estiveram no final do expediente da promotoria, porem sem nenhum documento em mãos, o que segundo ele, não há o que fazer. “Se eles tivessem levado ao menos alguns documentos, posteriormente eles seriam comunicados para complementar os documentos. Portanto, no momento, essas candidaturas se tornaram inviáveis”, explicou João Paulo.
Já no caso de Carmópolis, a situação não foi diferente. O pré-candidato a prefeito e vice do Partido Verde também não conseguiram o registro. Alem disso, dois vereadores dessa coligação também não conseguiram o registro.
Em Pirambu, outros 31 pré-candidatos a vereadores também não conseguiram o registro.
O promotor Paulo José disse ainda que houve casos em que representantes de coligações ao chegarem ao cartório eleitoral, “eles alegaram que o pen-drive queimou e em outro caso foi dito que a ata estava com uma pessoa e que essa já estava chegando, só que isso já era fora do horário previsto. Ou seja, o cartório já estava fechado”, explicou o promotor.



terça-feira, 3 de julho de 2012

A HORA DA ONÇA BEBER ÁGUA


ELEIÇÕES 2012

Mais uma vez os municípios brasileiros terão uma nova chance de definir os seus futuros políticos e consequentemente os destinos no que se refere à saúde, educação, segurança e ação social.
Em nossa cidade não é diferente, dessa vez o povo de Japaratuba terão a oportunidade de escolher entre três caminhos: continuar no caminho em que estamos, voltar ao passado ou apostar em um novo rumo, diferente daquele traçado pelos grupos políticos tradicionais. A consciência política é muito mais do que simpatia ou paixão popular, mas a responsabilidade em zelar pelo bem estar social da população com ações concretas em educação, saúde, cultura e lazer. 
ESSA É A HORA! São três caminhos diferentes, cabe a você saber qual o certo. Não deixe passar em branco esse show da democracia brasileira.

Convenções confirmam três candidatos em Japaratuba

Por TRIBUNA DA PRAIA Online


João Batista, Lara Moura e Padre Geraldo se habilitaram para as eleições 2012

Com a realização da Convenção do PT realizada na tarde de ontem, estão escalados os “times” que entrarão em campo nas eleições municipais em Japaratuba, que serão disputadas por três candidatos, sendo um de esquerda, um social-liberal e uma de direita.
O ciclo de convenções teve início em 17 de junho, quando os partidos da Frente de Esquerda homologaram os nomes do professor João Batista Almeida (PSOL) e do sanitarista Gilberto dos Santos (PCB) para prefeito e vice-prefeito respectivamente, lançando uma chapa proporcional composta de 15 candidatos a vereadores, sendo oito do PSOL e sete do PCB.

Continuísmo

Teve prosseguimento na quinta-feira, 28, quando os partidos que dão sustentação a administração, homologaram em convenção (foto) a chapa majoritária integrada pela prefeita Lara Moura (PR) e pelo vice-prefeito Pedro Moura Neto (PPS), candidatos a reeleição. A convenção reuniu centenas de pessoas e se constituiu em um ato revestido de forte apoio popular, com as presenças de lideranças políticas e populares.

Volta ao passado
 
Principal adversário da atual prefeita, o grupo liderado pelo petista Padre Gerard Lothaire Lulles Olivier, realizou sua convenção na tarde de ontem, confirmando a chapa que terá p engenheiro agrônomo e ex-prefeito Hélio Sobral Leite (PMDB) como candidato a vice-prefeito, apoiado pelos partidos da base aliada estadual, que incluem ainda o PSB, o PSD, o PDT, o PCdoB, entre outros.

Disputa anunciada

Em Japaratuba teremos uma das eleições mais disputadas de Sergipe, onde se antecipa a disputa eleitoral de 2014, em que os aliados do governador Marcelo Déda (PT) e do senador Eduardo Amorim (PSC) medirão forças, sendo o resultado imprevisível. Alí, é o passado de triste memória tentando desbancar o presente de resultados insuficientes, tendo como alternativa pela primeira vez naquela cidade uma frente de esquerda.